Wikia Dofus
Advertisement
Resumo da Missão
Iniciando Fale com Mayko Zuzu em [15,-60]
Nível necessário 60
Pré-requisitos Nenhum
Nível da missão 80
Recompensas XP baseada no nível, 3,990 Kamas, 3 Olho de Leopiena
Itens necessários 50 Kamas
Sequência Nenhum
Repetitiva Não

Sem Carne e em Osso é uma missão.


Pegando a missão[]

Fale com Mayko Zuzu em [15,-60] nas Dunas das Ossadas.
Diálogo

Estas terras antigas estão cheias de mistérios à espera de ser explorados. Só é difícil entender o que aconteceu há centenas de anos...

  • Perguntar o que ele está fazendo sozinho nesse lugar.

Tento compreender por que é que os mastodontes majestosos, que hoje não são mais que os ossos que nos rodeiam, desapareceram. Você não acha isso frustrante? Não saber como eram esses mastodontes?

  • Dizer que você também ficou intrigado.

Foi o que eu pensei também! Meu caro amigo, agora é que as coisas começam a ficar interessantes: descobri através de um manuscrito antigo que esses animais gigantescos teriam desaparecido todos ao mesmo tempo, sem sabermos a razão disso.

  • Continuar ouvindo.

Não tem como isso ser normal, por isso estou aqui: estou investigando para descobrir a verdade, e a sua ajuda seria preciosa.

  • Perguntar como você poderia ajudá-lo.

É muito simples, preciso que você extraia pedaços de ossos dos esqueletos dos mastodontes porque acredito que eles encerram a causa do seu desaparecimento. Com isso deverei ser capaz de analisar a sua composição. O que me diz? Acha que pode me fazer esse favor?

  • Aceitar ajudar.

Maravilha! Precisarei de fragmentos de diferentes partes do corpo dos mastodontes, começando pelas costelas, o fêmur e a coluna vertebral. Assim deverei ter material suficiente para trabalhar.

  • Botar a mão na massa.

Etapa 1: Sem carne e em osso[]

Mayko Zuzu quer descobrir a qualquer custo o motivo da extinção dos mastodontes, cujas ossadas salpicam o deserto. O problema é que interrogar as ossadas não é muito eficaz, pois é muito difícil fazer com que algo que não tem língua dê com ela nos dentes. Vai ser osso duro de roer.
Clique no osso.
Você vai receber 1 Amostra de Costela Óssea.
Clique no osso.
Você vai receber 1 Amostra de Fêmur Ósseo.
Clique no osso.
Você vai receber 1 Amostra de Coluna Óssea.
Diálogo
  • Entregar as amostras.

Excelente, vou analisar! *pega numa espécie de caixinha com muitos frascos, e faz várias manipulações* Encontrei alguns vestígios de uma substância desconhecida, mas a quantidade é muito pequena para ser representativa de alguma coisa. E isso não é a única coisa estranha...

  • Perguntar o que o está incomodando.

O mais surpreendente é que esta substância pode ser encontrada tanto nos ossos dos mais velhos quanto nos dos mais jovens... Se isso for a causa do desaparecimento deles, sem dúvida se trata de um veneno... Sinto muito, (seu nome), mas precisarei da sua ajuda novamente.

  • Perguntar como você pode ajudá-lo.

Existe um cemitério onde se encontram os restos mais impressionantes dos mastodontes e é também nesse lugar que a substância estará mais concentrada. O problema é que essa zona é habitada por animais selvagens bem mais agressivos que os seus congêneres do deserto. Gostaria que você lá fosse para fazer novas extrações.

  • Aceitar ajudar.

Obrigado mais uma vez, (seu nome)! Aqui está uma pequena ferramenta que lhe irá ajudar e extrair a essência da substância escondida na profundidade dos ossos. Nem sei o que faria sem você. Provar que esta substância é um veneno que matou os mastodontes é a derradeira pista que me resta.

  • Ir buscar as amostras.
Clique na vértebra na terceira sala do Cemitério dos Mastodontes.
Você vai receber 1 Amostra de Vértebra Óssea.
Clique na presa na quarta sala do Cemitério dos Mastodontes.
Você vai receber 1 Amostra de Presa Óssea.
Clique na patela na última sala do Cemitério dos Mastodontes.
Você vai receber 1 Amostra de Patela Óssea.
Diálogo
  • Entregar as amostras.

Espero que não tenha tido muitos problemas com os animais que lá habitam... Enfim, vou sintetizar um concentrado desta substância usando suas amostras. *faz algumas manipulações*

  • Esperar ele terminar de realizar os testes.

E aqui está, que estranha substância! Mas não consigo verificar sozinho se se trata de um veneno. Será que você pode ir falar com Skola Suk, no porto? Ele saberá nos confirmar a toxicidade.

  • Ir para o porto.
Você vai receber 1 Substância estranha.
Diálogo
  • Pedir para ele verificar se a substância é venenosa.

Que pedido mais estranho! Você está planejando matar alguém em breve? os assassinatos a sangue frio são raros nesta região quente...

  • Falar sobre o Mayko Zuzu.

Entendo... Deixe-me analisar sua substância. *começa a pronunciar encantamentos estranhos e faz gestos em torno do frasco, que começa a brilhar levemente* Não sei onde você conseguiu isso, mas não é de forma alguma um veneno.

  • Pedir para ele explicar melhor.

Ela parece ser constituída de vários elementos dos quais ignoro a composição real, mas que não contém agentes tóxicos. A única maneira realmente eficaz de descobrir os efeitos desta substância seria eventualmente... prová-la. Você precisa encontrar uma cobaia, mas isso é problema seu.

  • Agradecer a análise de especialista e ir embora.
Diálogo
  • Dizer que a substância não é venenosa.

O quê? Você tem certeza...? Droga, volta tudo à estaca zero, que diabo! Não foi o acaso que matou esses animais, é qualquer coisa relacionado com esta substância.

  • Dizer que Skola sugere testá-la em uma cobaia.

Envolver alguém nesta história obrigando-o a engolir esta substância? Isso está fora de questão, nunca faria sofrer um animal em nome da ciência e do conhecimento. Se tem de haver um responsável, serei eu.

  • Perguntar o que ele quer dizer com isso.

Vou ser a cobaia da minha própria experiência.

  • Insinuar que não é uma boa ideia.

Mas essa é a única maneira de saber exatamente o que matou os mastodontes! Você será minha salvaguarda. Não posso prever como vou reagir, então preciso saber que você estará por aqui para observar minhas ações e me neutralizar, se necessário.

  • Perguntar como fazer isso sem matá-lo.

Ouvi dizer que Cacterras gostam muito de álcool muito, muito, muito forte. Isso deve chocar suficientemente o meu corpo para... expelir todos os resíduos da substância que possa ter no estômago.

  • Perguntar onde é possível encontrar bebida alcoólica de Cacterra.

Falaram-me de uma tal de Pikmama, um dos poucos Cacterras que consegue comunicar facilmente conosco. Ela é a gerente da Pikantina, o canto mal afamado do Território Cacterra, mas ela poderá lhe dar a aguardente local.

  • Ir falar com Pikmama.
Diálogo
  • Pedir a bebida mais forte que ela tiver.

Você e engraçado. O seu corpo não está pik para esse tipo de bebida. É por sua conta e pikipik! De qualquer forma, são 50 pikpik.

  • Supor que ela esteja falando de dinheiro e entregar 50 kamas.
Você vai receber 1 Bebida alcoólica de Cacterra.
Iniciará uma batalha contra 2 Leopienas após o diálogo.
Diálogo
  • Dizer que você trouxe a bebida de Cacterra.

Perfeito. Agora vou engolir a substância. Observe todas as minhas ações, para o caso de não me lembrar depois. Se por acaso for longe demais ou se me tornar perigoso, dê-me de beber à força o álcool Cacterra. Você está pronto?

  • Dizer que ele pode começar.

*engole a substância de um trago*

  • Perguntar como ele está.

Tudo parece normal por enquanto. Que estranho. Pois bem, esta substância não pode ter matado os mastodontes. Isso não serviu para nada. É um fracasso. Eu sou um fracasso.

  • Consolá-lo dizendo que ele não é um fracasso.

Dediquei a minha vida a compreender os animais, mas sou incapaz de... *desaba em lágrimas* Por que é que eu simplesmente não me juntei à tripulação do navio mercante de meu pai? *chora ainda mais* Bella, por que me abandonaste? Já não tenho razão de viver!

  • Tranquilizá-lo e dizer que vai dar tudo certo.

ão, e que mé você para me dizer o que devo fazer? Minha morte será uma libertação para esta terra e para o mundo animal! *começa a correr e lança-se literalmente nas garras de uma Leopiena que passava nas redondezas*

  • Pular em cima dele para impedi-lo de fazer uma basteira.
Mayko Zuzu não atacará as Leopienas e andará para perto delas no turno dele. Mate-as antes que elas matem-no. Não é possível que outros jogadores participem da batalha.
Você vai receber 1 Dente quebrado.
Fale novamente com o Mayko Zuzu depois da batalha.
Diálogo

O que você fez? Me deixe morrer do jeito que eu quiser!

  • Fazê-lo engolir à força a bebida alcoólica de Cacterra.

*põe para fora tudo o que tem no estômago e mais um pouco* Puááá! Que horror, como é que eles conseguem beber essas coisas?

  • Perguntar se ele melhorou.

Tudo depende do que você entende por "estar melhor". Uma coisa é certa: eu não estou mais com vontade de morrer. Mas ainda tenho plena consciência do estado em que eu estava há alguns instantes. É inacreditável... É como se a substância tivesse me deixado... triste, ou talvez desesperado?

  • Perguntar se é possível que os mastodontes tenham morrido de tristeza.

Não sei se isso é possível, mas talvez o fato de ingurgitar essa substância tenha acelerado a decadência deles. Talvez eles tenham se reunido para morrerem todos juntos. Isso explicaria por que os mastodontes jovens em bom estado de saúde morreram, do mesmo jeito que os mais velhos.

  • Aprovar a teoria.

Agora eu vou poder me dedicar completamente à origem dessa substância, pois um mistério que é solucionado muitas vezes abre espaço para outro. Agradeço por ter me salvado de mim mesmo, (seu nome). Sem você, eu nunca teria chegado a essa hipótese.

  • Perguntar se ele ainda precisa de ajuda.

Você já fez muito, e vou precisar de tempo para entender como essa substância foi parar no organismo dos mastodontes. Com certeza vamos nos encontrar de novo!

  • Desejar-lhe boa sorte e ir embora.
Você vai perder 1 Bebida alcoólica de Cacterra.
Você vai perder 1 Dente quebrado.

Recompensas[]

Sucessos relacionados[]

Advertisement