Wikia Dofus
Advertisement
Resumo da Missão
Iniciando Fale com Bashar Daukar em [15,-56]
Nível necessário
Pré-requisitos Falar com Bárbarra Kis e Idarfen Madjika durante a missão Especiaria Especial
Nível da missão 80
Recompensas XP baseada no nível, 3,990 Kamas, 3 Escamas de Ourobolados
Itens necessários Nenhum
Sequência Nenhum
Repetitiva Não

Deserto de Vingança é uma missão.


Pegando a missão[]

Fale com Bashar Daukar em [15,-56] no Porto de Saarrakech.
Diálogo

Aqui não é Frigost. Não há lugar para turistas! Somente os mais resistentes sobrevivem, os outros podem voltar pra casa do papai e da mamãe, em vez de nos fazerem perder o nosso tempo.

  • Enfiar o dedo no nariz.

Algumas pessoas andam reclamando do desaparecimento de suas mascotes ou montarias no porto, como se eu não tivesse mais o que fazer... Já que você está aí à toa, que tal cuidar disso?

  • Dar de ombros, limpar as mãos na barriga e aceitar.

Fiz uma lista com uns nomes que me vieram à cabeça. Sou uma pessoa ocupada, não vou perder tempo tentando me lembrar da identidade dos chorões. Veja se consegue encontrar esses bichos, embora seja muito provável que tenham virado ensopado no Saibroon.

Etapa 1: Deserto de vingança[]

Você está investigando o desaparecimento de várias mascotes.
Diálogo
  • Falar sobre o desaparecimento do mascote.

Eu costumo amarrar meu Javóquero aqui. Fui fazer uma encomenda ao Capitão Tenereu e, quando eu voltei, ele tinha desaparecido.

  • Perguntar se ele não se lembra de algum detalhe singular.

Tenho a impressão de que vi um Ourobolados ao voltar para casa. Em geral, são os Fenexos que vêm surrupiar comida.

Diálogo
  • Falar sobre o desaparecimento da mascote.

Meu Miaw imbecil se escafedeu enquanto eu estava de bobeira no Zaap. na certa, alguém o achou e ficou com ele.

  • Perguntar se ele não se lembra de algum detalhe singular.

Não, mas, por outro lado, meu Miaw é fácil de identificar: ele está quase pelado no traseiro por conta dos chutes que eu vivo dando nele.

Diálogo
  • Falar sobre o desaparecimento da mascote.

Eu esqueci completamente! Foi um alarme falso. Mani tinha ido desenterrar um osso. Como você pode ver, ele voltou.

Diálogo
  • Falar sobre o desaparecimento da mascote.

Eu estava matando a sede e ouvi um barulho atrás de mim. Quando me virei, meu Tubola não estava mais lá. Espero que ele não tenha se aventurado sozinho pelas bandas do Farol Oeste. Parece que lá dá para ouvir uns gritos lúgubres de gelar o sangue! Meu pobre Tubolinha...

  • Perguntar se ela não se lembra de algum detalhe singular.

Fique com a impressão de que tem um lagarto me vigiando, mas deve ser imaginação minha. Muitos desses animais vêm se refrescar à sombra dos cactos.

  • Inspecione a plantação de cactos [14,-58]
Fale com o Ourobolados Intrigante.
Diálogo

*desaparece sem notar você*

  • Seguir o Ourobolados.
  • Siga o Ourobolados [13,-58]
  • Procure o Ourobolados [13,-59]
Clique no saco no meio do mapa.
Diálogo

O que está fazendo aqui? afaste-se dessa bolsa, ela é minha! Hoje em dia não dá nem pra se aliviar atrás da moita sem que roubem suas coisas, é um absurdo!

  • Afirmar que a mascote pertence a Bartolo Parvo.

Você não sabe do que está falando. Ele sempre foi meu, desde pequeno. É só uma coincidência, nada mais.

  • Achar estranho o animal ter sido colocado dentro de uma bolsa.

Era para protegê-lo do sol, que está muito forte no momento.

  • Perguntar o nome dele.

Ahn... Ele se chama... hum...

  • Dizer que Hum é um nome muito estranho para uma mascote.

Pelos espíritos! Você me desmascarou. Vamos ver se suas habilidades de combate estão à altura da sua perspicácia.

  • Tentar obrigá-lo a cooperar.
  • Derrote 1x Osmane Itu em um único combate [13,-59]
Osmane é um Sadida nível 80 com 1200 de HP e estará acompanhado de 1 Ourobolados. Não é possível que outros jogadores participem da batalha.
Diálogo

Você é um adversário forte demais para mim, eu desisto.

  • Levá-lo até Walker Tolky.
Diálogo
  • Entregar Osmane Itu.

Então quer dizer que essa é a criança levada que roubou os animaizinho? Mas ele sabe que é errado pegar as coisas dos outros.

Diálogo

Eu me recuso a ser trancado em uma jaula como um animal selvagem.

  • Perguntar onde estão as criaturas sequestradas.

Vou acompanhar o Walker Tolky até a gruta onde as coloquei.

  • Exigir explicações sobre os atos dele.

Os aventureiros exploram as mascotes e montarias sem a menor consideração. Eles as enxergam como meros instrumentos de poder e se esquecem de que esses seres carinhosos também têm necessidades e sentimentos.

  • Continuar ouvindo.

Esses animais merecem mais atenção e não deveriam ser obrigados a assistir ou participar de sessões de massacre de criaturas em grande escala organizadas por seus donos. Por isso, quis colocá-los em um santuário.

  • Anotar a justificativa.
Diálogo
  • Perguntar que pena é aplicável a Osmane Itu.

Ele vai me levar aonde os animais estão presos. Se o que diz é verdade, ele vai ganhar uma multa e uma surra de cinta e vai ser proibido de chegar a menos de 10 kametros de qualquer mascote ou montaria. Aqui a lei é levada a sério! Espero que não haja nenhuma relação entre esses sumiços e o fim da escassez de carne para cozido do Saibroon...

Recompensas[]

Sucessos relacionados[]

Advertisement