Wikia Dofus
Advertisement
Resumo da Missão
Iniciando Fale com Petra Fikante em [21,22]
Nível necessário
Nível da missão 200
Recompensas XP baseada no nível, 21,990 Kamas, 10 Pérola das Profundezas, 5 Escama de Gambafete
Itens necessários 10,020 Kamas
Sequência
Repetitiva Não

Concorrência Desleal é uma missão.


Pegando a missão[]

Fale com Petra Fikante em [21,22] em Sufokia.
Diálogo

A exploração das ruínas submersas é uma verdadeira dádiva para os caçadores de tesouros e oportunistas. Os mais talentosos e os menos escrupulosos podem tirar a sorte grande várias vezes.

  • Perguntar à qual cidade ela pertence.

Eu pertenço a ambos os grupos, embora ultimamente minha atividade esteja prejudicada. Você ao menos não trabalha para o Conselho do Mar?

  • Tranquilizá-la.

Não, você não tem o nariz empinado como aqueles patifes. Preciso de alguém para frear a concorrência que se estabeleceu recentemente. Trata-se de um trabalho remunerado que exige grande discrição. Você tem interesse?

  • Exigir mais informações antes de se pronunciar.

A tarefa é simples: quero saber a identidade dos meus concorrentes e dos chefes deles. Vou lhe dar uma lista dos meus contatos se você aceitar esse trabalho.

  • Aceitar.

Aqui está uma lista de contrabandistas, receptores e outros comerciantes. Como atuam no campo prático, eles conhecem muita gente naquele meio e encontram todo tipo de financiadores e clientes. Comece interrogando-os e venha falar comigo novamente quando tiver nomes.

Etapa 1: Concorrência desleal[]

Você deve descobrir a identidade dos novos traficantes de antiguidades em Sufokia.
Diálogo
  • Falar sobre a investigação que lhe foi confiada pela Petra Fikante.

Eu vendo antiguidades por baixo dos panos. Vários dos meus fornecedores tiveram um arranca-rabo com um tal de Sharky, que não hesita em espancá-los para dissuadi-los de continuarem suas atividades. Ele parece atuar na cidade submarina.

Diálogo
  • Falar sobre a investigação que lhe foi confiada pela Petra Fikante.

Certos saqueadores sem escrúpulos utilizam um método sorrateiro para compensar sua incompetência. Como são incapazes de encontrar por conta própria antiguidades valiosas, eles agridem e roubam os saqueadores talentosos, apossando-se das descobertas deles.

  • Pedir informações sobre a identidade dos saqueadores.

Só conheço um, com o qual eu mesma me confrontei. Ele se chama Kaje, e a sede de dinheiro parece ser sua única motivação.

Diálogo
  • Falar sobre a investigação que lhe foi confiada pela Petra Fikante.

Pessoalmente, não gosto de concorrência, e o mínimo que se pode dizer é que ela está cada vez mais acirrada. Ainda ontem tive de enviar meu carregamento para o fundo do mar para não cair nas malhas das autoridades sufokianas.

  • Perguntar se esse tipo de incidente ocorre frequentemente.

Virou algo mais frequente. Suspeito que Lazur, um contrabandista medícore, tenha me denunciado. É uma coisa que não se faz nesse meio!

Ele fica em [22,27] nas Profundezas de Sufokia.
Diálogo

Vou me dar o prazer de esmurrar o seu capacete até enfiá-lo dentro da sua boca se você continuar me incomodando.

  • Tentar acalmá-lo para descobrir a identidade de seu chefe.

Seus pais vão ficar contentes, vou fazer você comer ferro e outros metais essenciais. Quando eu tiver terminado, você não sentirá mais fome.

  • Defender-se.
  • Derrote 1x Sharky em um único combate
Ele é um Iop com 5500 de HP. Não é possível que outros jogadores participem da batalha.
Diálogo

Você é forte para caramba, ninguém diria.

  • Perguntar o nome de seu chefe.

Não sei o nome dele. Tudo o que eu sei é que ele tem a patente de coronel. Não me pergunte em que exército, não tenho a menor ideia.

Ele fica em [23,27] nas Profundezas de Sufokia.
Diálogo
  • Fazer perguntas sobre seu chefe.

Por que todas essas perguntas, você é guarda costeiro?

  • Convencê-lo a revelar a identidade de seu chefe.

Não tenho nada a dizer. Você está me fazendo perder tempo e kamas.

  • Oferecer kamas suficientes para compensar a perda e comprar a identidade do chefe.

Por 10.000 kamas, podemos chegar a um acordo.

  • Entregar os 10.000 kamas.

Eu trabalho para um oficial do exército sufokiano. Não sei nem o nome, nem o posto dele. Sei que é um oficial, pois já o vi dando ordens a soldados e suboficiais.

Você vai perder 10,000 Kamas.
Ele fica em [24,26] nas Profundezas de Sufokia.
Diálogo
  • Falar sobre o desentendimento com o Du Benzaim.

E daí? Isso não é da sua conta! Se ele fosse mais esperto, não teria tido problema. Não sou obrigado a seguir a regra estúpida que proíbe os contrabandistas de denunciarem seus comparsas.

  • Explicar que não está envolvido com o contrabando e ameaçar denunciá-lo às autoridades.

Seu canalha! Já quer saber, eu trabalho para Ilkor. Eu o conheci na taberna do Ripata, e é lá que ele marca encontro comigo quando precisa de mim.

Compre uma Cerveja do Ripata com ele primeiro antes de falar com ele. Custa 20 kamas.
Diálogo
  • Perguntar se ele conhece um talk de Ilkor.

Ilkor, o fabricante de licores? Ele foi morar na Ilha de Otomai alguns meses após sua descoberta. Nunca mais o vimos por aqui.

  • Falar também de um coronel e de um oficial do exército sufokiano e perguntar se ele sabe qual é a relação entre os três.

Depende se esses três palhaços são pessoas diferentes ou um único e mesmo indivíduo. Neste caso, você está falando é do coronel Ilkor. Ele vem aqui de vez em quando tomar uma verdadeira bebida de macho e discutir com os marinheiros.

  • Fazer perguntas sobre o coronel.

Ele nunca fala sobre seu passado, mas já o ouvi conversando em várias línguas. Na minha opinião, o sujeito já viajou muito. Às vezes, ele divide a mesa com clientes um pouco esquisitos. Pessoalmente, eu o aconselhei a desconfiar deles.

  • Perguntar se ele sabe onde se encontra o coronel Ilkor neste momento.

Caramba, não tenho a menor ideia! Mas ouvi dizer que ele dirigia manobras terrestres na Península das Gelatinas. Vale a pena dar uma conferida.

Ele fica em [10,29].
Diálogo
  • Falar sobre a relação dele com saqueadores e traficantes de antiguidades.

Fale baixo, imbecil! Eu contesto essas acusações sem fundamento, que não passam de pura difamação.

  • Afirmar que está disposto a negociar seu silêncio.

Embora tuo isso seja mentira, o menor vazamento de informações poderia provocar consequências nefastas para a minha carreira. O que você quer exatamente?

  • Perguntar se ele agiu por conta própria e se tem sócios.

Não vou correr o risco de me comprometer. O Colecionador, assim como é chamado, disse que estava disposto a comprar pelo melhor preço antiguidades extraídas das ruínas submarinas de Sufokia.

  • Continuar ouvindo.

Ele é muito exigente, e não podemos lhe vender qualquer porcaria. Obviamente, como o Conselho do Mar proibiu o tráfico de antiguidades, o preço das peças oriundas de sítios de escavações ilegais subiu de forma drástica. Foi por isso que surgiram novos deliquentes debaixo d'água.

  • Pedir mais informações.

Se o Colecionador não estivesse se metido na história, o tráfico de antiguidades não teria tamanha atratividade. Agora, os saqueadores chegam aos montes com a esperança de descobrirem objetos que eles possam lhe revender por um preço exorbitante. Não tenho nada a acrescentar.

Diálogo
  • Revelar a identidade do único concorrente.

Você quer dizer que ele está sozinho? Olha, trata-se do Colecionador... Pensando bem, as ruínas talvez sejam grandes o bastante para nós dois. Não sou burra a ponto de atacá-lo diretamente. Em compensação, não vou deixar de atrapalhar os negócios dos funcionários dele quando houver oportunidade.

  • Exigir o pagamento combinado.

Aqui está a recompensa pelo seu trabalho e discrição.

Recompensas[]

Sucessos relacionados[]

Advertisement